Design Sprint: quais as vantagens para meu projeto?

Tecnologia

Design Sprint: quais as vantagens para meu projeto?

Design Sprint é um processo criado pelo GV (Google Ventures), grupo responsável por investimentos de alto risco que auxilia startups como Uber e Slack. Baseado no design thinking, o processo completo ocorre durante 5 dias, em 40 horas de trabalho.

Toda a equipe envolvida no projeto trabalha de forma colaborativa para definir o problema, buscar soluções e testar a solução com clientes reais para validação de uma ideia antes que ocorra o desenvolvimento de um MVP (Minimum Viable Product) no mercado.

Quer saber mais sobre como o Google Design Sprint pode ajudar seu projeto? Saiba mais agora!

Design Sprint: A metodologia para validação de ideias

O desenvolvimento de produtos, especialmente aqueles que fazem uso de tecnologia, como aplicativos, sistemas e jogos, tem o seu desenvolvimento baseado em metodologias.

Scrum e diagrama de processos (PMO) são algumas delas. Porém, essas metodologias não têm como objetivo primordial a validação de ideias, e sim o planejamento e a organização de atividades para que o projeto seja desenvolvido.

Com o Google Design Sprint é possível, em um curto espaço de tempo, iniciar o desenvolvimento de um produto já preestabelecido e, mais importante, validado por meio de uma metodologia específica para esse modelo de processo.

Para projetos que buscam a inovação é inerente atuar com incertezas, além de um processo de descobrimento. As incertezas advêm do fato de ser algo novo no mercado.

É necessário estar disposto a reconhecer erros e aprender como os usuários reagem. Com o Google Design Sprint as incertezas podem deixar de existir, assim como algumas das descobertas podem ser mapeadas previamente.

Tempo é dinheiro

A finalização do período de 5 dias para o Google Design Sprint possibilita que problemas sejam discutidos, soluções encontradas e testes realizados. Isso gera uma enorme economia de tempo e dinheiro, ao tornar uma ideia em algo comercialmente viável.

Muitos projetos cometem o erro de construir um MVP ou mesmo a versão final de um produto sem que existam essas validações.

Imagine investir durante meses para no final do projeto descobrir que ele não atende às expectativas de seus usuários? Ou mesmo, que existem funcionalidades não implementadas por não terem sido mapeadas anteriormente e que impactam negativamente na percepção dos clientes sobre o produto?

Não se pode simplesmente criar um plano inicial e segui-lo à risca em projetos que envolvem inovação. É preciso que cada uma de suas etapas sejam testadas antes mesmo do início efetivo de desenvolvimento do produto.

Protótipo em tempo recorde

Após todo o trabalho desenvolvido de forma colaborativa pela equipe envolvida no projeto é chegada a hora de construir um protótipo!

A vantagem é que após o Google Design Sprint, o problema principal referente ao produto já foi resolvido e muitas outras surpresas puderam ser mapeadas. Todas essas etapas criam um caminho de desenvolvimento predeterminado, possibilitando maior controle sob o escopo.

Muitos protótipos são construídos em tempo recorde, chegando cada vez mais perto da versão final do produto. Mas é importante lembrar que: uma versão final não significa uma versão definitiva.

Quando falamos de tecnologia e inovação, esse termo perde o sentido. É preciso sempre se manter em movimento, realizando modificações preventivas e evolutivas que garantam um produto funcional e aderente ao público.

Gostou deste post sobre o Google Design Sprint? Compartilhe-o nas redes sociais e mostre aos seus amigos e colegas as vantagens desse processo!

Delvair Raul Macedo
postou 07/05/2018

© Mentores Digital 2022 - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Mentores