2+
         
Ensino à Distância

Por Delvair Macedo - 25/01/2017

Moodle ou Sensei: qual usar para a criação de cursos online?

Já pensou em oferecer um curso online? Deve ser caro, difícil de mexer ou administrar? Nada disso.

Hoje, há diferentes opções no mercado, a exemplo do Moodle e o Sensei. O primeiro é um software livre, e o segundo um plugin para WordPress. No post de hoje, falaremos detalhadamente sobre cada um deles.

Continue a leitura e saiba mais!

Moodle

É um sistema Open Source para o gerenciamento de cursos online, permitindo a criação de um ambiente virtual de aprendizado. É o primeiro grande sistema de e-learning que se popularizou por instituições de ensino e pessoas interessadas em desenvolver cursos em todo o planeta.

Para rodar o Moodle, é necessário ter instalado um servidor web — que pode ser implantado em um servidor físico ou em nuvem, como os serviços de hospedagem. Veja suas principais vantagens:

  • O Moodle dispõe de inúmeras funções que oferecem uma grande usabilidade em diferentes escalas;
  • É versátil, podendo ser usado como plataforma para cursos totalmente na rede ou somente para contato em seus cursos (blended learning);
  • O Moodle roda em Windows, Unix, Linux, Mac OS X, Netware entre outros sistemas que suportem a linguagem PHP, sem ter de fazer modificações;
  • É compatível com a maioria dos provedores de hospedagem de sites;
  • Permitem adicionar módulos de atividade, a exemplo de fóruns, bancos de dados, serviços de cobranças, entre outros. Dessa forma, é possível criar comunidades colaborativas de ensino ou somente fornecer conteúdo, gerar avaliações, testes, etc.

Apesar das vantagens, o Moodle apresenta limitações no sistema de design e não é tão prático quanto outras opções mais modernas de aprendizado, como o Sensei.

Sensei

Sensei é um plugin para sites criados em WordPress que permite criar cursos, postar vídeos, áudios, conteúdo escrito e em outros formatos, além de criar testes e administrar todo um curso. Você pode cobrar pelas aulas, contatar alunos, criar fóruns, conceder certificados de conclusão de curso, entre outras atividades de e-learning.

Veja as vantagens:

  • É intuitivo e as lições podem ser criadas em poucos passos;
  • Facilidade em configurar pré-requisitos para cursos e aulas;
  • Flexibilidade em disponibilizar o conteúdo, criação de logins e acesso ao painel de estudos;
  • As extensões do Sensei podem ser baixadas de forma simples. Algumas são grátis e outras pagas, sendo direcionadas para diferentes propostas e projetos;
  • Fornece relatórios que dão uma visão geral do seu conteúdo, notas e estudantes registrados no site.

Afinal, Moodle ou Sensei?

Ambos são plataformas profissionais. Contudo, o Moodle vai exigir um pouco de conhecimento em programação caso queira usar todos os recursos disponíveis.

Muitas empresas têm um programador e oferecem esse tipo de serviço para configurar o ambiente de aprendizagem em Moodle. De todo modo, para a versão básica, trata-se de uma ferramenta gratuita, estável e não é necessário saber programar.

O Sensei é mais simples de ser instalado. Porém, é pago e algumas de suas extensões também. Caso seja inviável para a operação, principalmente para projetos com poucos recursos, o ideal será buscar alternativas, como o Moodle.

É válido ressaltar, que o preço pago pela licença do Sensei ainda é mais econômico quando comparado a outras soluções de e-learning ou a contratação de muitos profissionais. Até mesmos cursos extensos e complexos podem ser desenvolvidos no Sensei da mesma forma que se cria um post no WordPress.

E você, pretende criar uma plataforma de aprendizagem? Pretende optar pelo Moodle ou pelo Sensei? Conte pra gente nos comentários!

Veja Também