1+
         
Marketing Digital

Por Jasmine Lira - 08/03/2018

Análise de dados: como inovar na tomada de decisões na sua empresa?

Não é novidade que a análise de dados é fundamental para as corporações. Cada vez mais as tomadas de decisão usam essas informações como base. E, em geral, ajudam a investir recursos de forma inteligente. Para isso, porém, é necessário compreender como essa análise deve ser praticada.

Existem conceitos e tecnologias para auxiliar nessa tarefa. A coleta e a análise de dados externos e internos permitem produzir conhecimento, valor e insights em tempo real — afinal, o avanço tecnológico acirrou a competição e, por isso, as tomadas de decisão não podem mais levar em conta apenas a intuição.

No post de hoje, você vai conhecer melhor as vantagens que a análise de dados traz às tomadas de decisão. Boa leitura!

Dados

Os dados a serem analisados vêm de diversas fontes: formulários de cadastro, interação com clientes no call center, em chats online ou por e-mail, comportamento do consumidor na internet (em redes sociais, por exemplo), informações internas produzidas pelos departamentos da organização etc.

A avaliação das informações ajuda a identificar oportunidades de negócios por meio do comportamento do cliente (incluindo suas reações a promoções e ofertas, suas experiências de compra online e as dificuldades experimentadas por ele no site). Com essas informações em mãos, é possível traçar novas estratégias.

É essencial definir como será o processo de produção de conhecimento e valor por meio dos dados coletados e analisados. Afinal, é muito importante cuidar da segurança dessas informações para poder analisar e agir sobre elas com confiança.

Big data

O big data é a metodologia que representa uma resposta à quantidade infinita de informações disponíveis em todos os cantos dos sistemas tecnológicos atuais. Ela permite analisar fontes de dados caracterizadas por volume, velocidade e variedade.

Agrupar e dominar essa quantidade de dados permite conhecer padrões de comportamento e mercado com precisão e rapidez a partir de informações obtidas de eventos, preferências e necessidades do consumidor. Assim, podem-se traçar caminhos e direcionar investimentos em produtos ou serviços ansiados pelo cliente.

Como se trata de um grande volume de dados, ele é normalmente armazenado, processado e interpretado por ferramentas e soluções específicas. É assim que se fornecem os insights que podem afetar a empresa de forma positiva.

Sem o big data, não seria possível ter controle sobre esse grande volume de informações. Por outro lado, como ele privilegia o aspecto quantitativo, deixa escapar o lado humano da informação: o que de ela realmente traduz, em qual contexto está, quem são os clientes e o que a experiência deles nos diz, entre outros.

Small data

Nesse cenário, chega o small data: enquanto o big data se concentra em dados quantitativos, ele tem como foco os qualitativos. Com isso, tanto as opiniões quanto as experiências do cliente ganham mais atenção. Ele faz isso avaliando uma pequena quantidade de dados para estabelecer uma ponte entre pessoas e oportunidades.

Essas informações são coletadas, geralmente, em pesquisas, redes sociais e até do Customer Relationship Management (CRM) da empresa. São a opinião da clientela em experiências de compra, sua expectativa em relação a produtos e sua percepção de marca.

O aspecto humano do small data é seu grande diferencial, já que define com mais realismo a informação coletada ao incluir os contextos social, político e religioso em que o consumidor se enquadra. Isso ocorre porque existe uma diferença entre o que ele diz e o que ele mostra.

As duas metodologias são, portanto, complementares. Para que as tomadas de decisão de uma marca sejam otimizadas e mais assertivas, em algumas situações será necessário analisar um mapa genérico de redes sociais e, em outras, será preciso ter uma conversa e observar os comportamentos das pessoas.

Ferramentas para análise de dados

Uma ferramenta que ajuda nessa tarefa é o SEM Rush. A solução permite analisar palavras-chave, fazer a análise global do site e ainda avaliar a concorrência. Na mesma linha, o Google Analytics monitora o tráfego de um site, uma loja virtual ou um blog para mostrar como os usuários se comportam ao navegar pelas páginas.

E você, como faz a análise de dados da sua organização? Siga a gente nas redes sociais para ficar sempre por dentro das novidades dessa área. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Instagram e no Dribble.

Veja Também